“A arte surpreende, comove, desconcerta, movimenta o corpo, os sentidos, acelera o coração, emociona, coloca-nos em reflexão. A educação pela arte provoca rupturas e associações capazes de colocar o homem em estado de descoberta da sua humanidade”

tais palavras sintetizam o que ocorreu na 1ª Semana Acadêmica do Curso de Licenciatura em Música da Faculdades EST.

Foi possível reconhecer que o público presente tem uma “digital”! Uma “marca” que os identifica e os instiga na busca por formação na área do ensino da música para o ambiente escolar. As abordagens das temáticas proporcionaram “olhares humanizadores” sobre a educação musical, presente também nos debates e oficinas, dos quais destaco:

 

  • Como desenvolver o “fazer musical” no ambiente escolar em espaços acusticamente não preparados para a execução de instrumentos?
  • Como desenvolver a corporeidade dos alunos para o “fazer musical”?
  • Como desenvolver práticas musicais que despertem nas crianças e jovens a musicalidade, a sensibilidade, a técnica e os conhecimentos do “fazer musical”?
  • Como capacitar o educador musical para criar, planejar, executar e coordenar ações educativas e musicais em espaços de vulnerabilidade social?
  • Diversidade e pluralidade cultural no ambiente escolar? Como tratar as diferenças na educação musical?
  • Condições psíquicas e limites determinados e/ou condicionados por deficiências que implicam cuidados que vão além dos conhecimentos pedagógicos do educador musical? Como a música pode ser inclusiva, consideradas essas condições?
  • Como analisar, avaliar e construir um projeto de formação humana, cidadã e eficaz em todas as áreas do processo afetivo e cognitivo desde a infância?

Com base nas discussões elencadas, a 1ª Semana Acadêmica da Licenciatura foi além de uma programação musical, provocando reflexões que exercitam olhares para o enfrentamento de problemas que a educação, acima de tudo a musical, ainda se depara no contexto brasileiro. Um momento histórico porque protagonizou momentos para o compartilhar de experiências, proporcionando descobertas desconcertantes, reveladoras e surpreendentes!

Sabemos que o conhecimento acadêmico não é suficiente para resolver os problemas do mundo com suas teorias, mas não existem motivos que nos impeçam de conhecê-las, usufruí-las e capacitar-nos para melhorar a vida coletiva.