A educação de uma criança portadora de necessidades especiais é um grande desafio para nós educadores, que muitas vezes nos deparamos com crianças sem laudo e que precisam de atendimento especializado para que seja desenvolvido o fundamental em toda educação: preparar alguém para conviver em sociedade.

A aceitação de crianças com deficiências em salas de aula “normais” representa um ganho tanto para os alunos incluídos quanto para os demais, já que todos aprendem a conviver com as diferenças, mas não podemos esquecer que o educador precisa estar preparado e receptível a essa nova experiência.

Além do papel que educador exerce em sala de aula, percebo que a  aceitação da família é o segredo para que esse processo tenha sucesso. É importante que os pais reconheçam as dificuldades do filho, mas isso não significa tratá-lo como vítima, como alguém incapaz, um coitadinho.

A família não deve ter vergonha da criança, e sim aceitar suas diferenças. Acolher e promover momentos de conversa sobre as dificuldades que a crianças enfrenta em seu cotidiano é fundamental para superá-las.

Os pais devem  acreditar que seu filho é capaz de aprender e respeitar suas dificuldades. Se a criança portadora de necessidade especial for estimulada física e socialmente, tende a se desenvolver melhor, pois se sentirá segura e amada.

Juntos, família e escola podem contribuir para o desenvolvimento da criança portadora de necessidade especial, pois todos temos  limitações.