Colunista Prof. Magnus Cesar Ody – Mestrando em Educação em Ciências e Matemática – Assistente da Coordenação do Curso de Matemática

A Estatística e o nosso dia a dia

 

Caro leitor! Para nós do curso de Matemática das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat), é um prazer estarmos juntos novamente em 2012.

Trago para você, nesta primeira edição do Jornal OPA de 2012, uma reflexão sobre a relevância em estudar Estatística tanto nas séries iniciais e finais do ensino fundamental como no ensino médio.

Uma justificativa é que muitas das notícias que são publicadas na mídia estão resumidas em quadros, tabelas, gráficos ou textos. Outra, diz respeito ao que sugerem os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), no que diz respeito ao Ensino de Estatística.

Segundo os PCNs, já nas séries iniciais do ensino fundamental o aluno deve adquirir habilidades e competências no Tratamento da Informação e da Incerteza e, no ensino médio, agregar e trabalhar a análise de dados. Nessa etapa de ensino, o aluno tem habilidades para tratar a informação e também analisá-la, a fim de que possa tornar particular sua ação sobre a informação, o que chamamos de conhecimento, tornando-o cidadão crítico e responsável.

Desde a infância, gradativamente, somos estimulados a ler e a escrever. Quando somamos a isso a capacidade de analisar criticamente uma notícia publicada na mídia, seja na forma de um gráfico, uma tabela, um quadro, ou até mesmo algo escrito por extenso e que tenhamos que utilizar conhecimentos de Estatística, pode-se dizer que somos letrados estatisticamente.

Você, professor, pode trabalhar conceitos de Estatística adequados à série de ensino, utilizando notícias publicadas em jornais e revistas ou promovendo a pesquisa na própria sala de aula, explorando vários temas locais. Desde as séries iniciais, pode estimular o interesse pela coleta, organização, compilação e organização de dados, sendo esses, processos da pesquisa científica, promovendo o trabalho interdisciplinar.

Para você aluno, fica a dica para dar atenção à leitura de jornais, revistas, na maneira como uma notícia é apresentada, pensar de que modo você organizaria a mesma notícia, verificar que tipo de informação os gráficos, tabelas e quadros estão querendo informar. Caso tenha acesso ao computador, pode começar a explorar os recursos da planilha e os tipos de gráficos.

Deixo como sugestão a visita ao ALEA (Ação Local de Estatística Aplicada) cujo acesso se dá pelo site http://www.alea.pt/ onde podem ser encontrados vários dados  e informações em artigos, livros, notícias e desafios que envolvem a Estatística e a Probabilidade em favor de uma Educação Estatística voltada para a cidadania. Um belo exemplo de Portugal.